A fragilidade humana

Embora o nosso criador nós ter criado de maneira tão fantástica e maravilhosa (Sal. 139:14-16), após a queda, o que era formidável se tornou tão débil e fraco.

Somos criaturas criadas a imagem de Deus, e isso nós faz seres muito especiais. Somos a obra prima da criação de Deus uma raça privilegiada, com a capacidade de criação (Gên. 1:26,28). Pela a união de dois seres, masculino e feminino uma vida passa a existir. Fruto de um amor, um planejamento, ou simplesmente por uma aventura em algum momento.

Temos um projetista, um Deus que decidiu em seu amor eterno nós trazer a existência, mesmo sabendo que poderíamos fracassar em cumprir com o seu plano perfeito; quanto amor.

Embora que em nossa vida tenhamos muitos privilégios, temos em meio a tudo isso muitas carências. Somos frágeis, nosso ser é acometido de diversos ataques, e com isso ficamos abatidos, doentes e sujeitos a morte.

Quando eu olho para as pessoas que neste momento trágico de nossa história estão passando por este processo doloroso, eu penso o quanto nosso Pai celestial se condoí com esse sofrimento. Lembro-me de Jesus e as provações que Ele também enfrentou enquanto em forma de homem esteve aqui nesta terra. As dores que sofreu, as incompreensões, os ataques do maligno, o desprezo do ser humano, as acusações.

Todos nós seres humanos também experimentamos um pouco do que Jesus sofreu. Todos os dias temos a nossas provações.

O Covid19 apenas acentuou o quão pequenos nós somos, e o quanto devemos valorizar a vida que nós foi dada, a nossa família, os nossos amigos, as pessoas que nós cercam.

Estamos na luta, uma guerra física e espiritual, mas nós sabemos quem irá vencer. O mal vai perder, a dor vai passar, e todos os que estiverem em Cristo serão eternos vencedores. O momento e de resiliência. Precisamos lembrar de nosso Pai celestial. Ele nós ama incondicionalmente, e agora mais do que nunca seus olhos estão voltados para cada um de nós.

Mantemos o foco olhando firmemente para o futuro, olhemos para o galardão eterno que Jesus nós prometeu. (Apoc. 21:1-5).

Gosto de lembrar das palavras do apóstolo Paulo:

Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória; II Cor. 4:17

Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda. II Tim. 4:7-8.

Open chat